Já se passaram mais 50 anos e uma manobra permanece como definitiva e a mais intensa no surf, é o TUBO!

O tubo é o momento em que estamos em completa harmonia com o nosso equipamento, nosso corpo, nossa mente e o mar.

No tubo, a onda é lançada para frente, jogando sua crista até que o surfista fique completamente imerso num cilindro de água, em um lugar de isolamento e silêncio onde o tempo passa mais lentamente, gota por gota. A sensação de velocidade é reduzida e a percepção torna-se mais aguçada, nos fazendo entrar em um intenso êxtase.

Para nós surfistas não há nada mais intenso do que estar profundo no tubo, completamente sincronizados com tudo que envolve esse complexo momento entre homem e natureza.

Ao contrário do que alguns pensam, o tubo é o lugar muito perigoso para se estar, um erro pode tornar um sonho em um pesadelo pois a onda pode te arremessar diretamente ao fundo ou te trazer de volta para a crista(“lip”) e assim te arremessando sobre a bancada seja ela areia ou de corais.

O tubo geralmente dura pouco, talvez quatro segundos e dependendo o local até mais, mas a sensação é a que parece ser interminável.

Com toda a tecnologia e evolução do surf, tanto da parte de equipamentos e também nossa parte física e mental, não é à toa que nos últimos anos as performances estão cada vez mais impressionantes.

No meu ponto de vista e com certeza de muitos outros surfistas profissionais e amadores, terão como unanimidade três nomes que dominam essa arte com maestria que são: Kelly Slater, Gabriel Medina e John John Florence que pra mim são os top três do mundo nessa arte.

Eu particularmente surfo para pegar a maior onda com o objetivo de entrar no maior e mais profundo tubo possível.
A busca é eterna, sempre buscando os melhores equipamentos, o mais perfeito condicionamento físico e mental, assim como viagens para os melhores e famosos points, bancadas, e também lugares inóspitos com águas geladas, rasos ou nunca surfados antes e mais uma infinidade de variáveis, sempre buscando a melhor onda e o melhor desempenho.

Agora no mês de setembro estou prestes a realizar um sonho, o de surfar uma das ondas mais tubulares e temidas do mundo, a Teahupoo (crânios quebrados – em polinésio) localizada no Taiti na ilha de Papeete na Polinésia Francesa acompanhado da minha esposa e filha.

Rodrigo Cutelo.

Comments

  1. Irado. Apaixonado por esse Esporte Saudável e Essencial a Alma de um Surfista. Show.. PARABÉNS irmão. Materia Top. Imagens De Cinema…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *